• Isabela Moreira

LIGA CONVIDA: Karen Silverwood-CopeKaren




Karen é Especialista em Políticas Públicas e Gestão Governamental, Coordenadora-Geral de Oceano e Antártica no MCTI



Se Liga na entrevista:


1) Como o Brasil tem se preparado para a década do oceano?

Estas foram as principais ações promovidas pelo Brasil em preparação para a Década da Ciência Oceânica para o Desenvolvimento Sustentável:

2019:

  • Realização da Oficina Regional do Atlântico Sul, no Rio de Janeiro.

2020:

  • Realização de 5 Oficinas Regionais e 2 Webinários Nacionais (virtuais);

  • Lançamento do site no Dia Mundial do Oceano;

  • Instituição do Comitê Gestor da Década e instalação dos 5 Grupos de Mobilização Regional.

2021:

  • Lançamento oficial da Década do Oceano no Brasil, em março.

  • Elaboração do Plano Nacional de Implementação para Década do Oceano a partir dos insumos coletados em 2019 e 2020.

Outras informações podem ser encontradas no site: http://decada.ciencianomar.mctic.gov.br/


2) Qual o papel das mulheres nesse planejamento?

Considerando as ações acima, as mulheres têm representado aproximadamente 62% da participação nos eventos promovidos no âmbito da Década. Tivemos a participação feminina majoritária em todas as oficinas regionais de 2020. Esse destaque nos permite acreditar que teremos uma construção da década com participação equilibrada, em que todos e todas estão representados. Temos um grande desafio para a implementação das ações propostas para a Década da Ciência Oceânica em uma abordagem holística, sistêmica, igualitária e socialmente focada para o desenvolvimento da ciência oceânica orientada a soluções em direção ao “Oceano que Precisamos para o Futuro que Queremos”. E o futuro que queremos é de um mundo mais justo, no qual as mulheres tenham o pleno usufruto do mar em suas plenas condições de provisão ecossistêmicas.

Estamos lançando em parceria com a UNIFESP um projeto dedicado a escolas com ações para promoção das meninas na ciência oceânica. É a iniciativa Escola Azul e a Olimpíada O2! Queremos também estruturar um movimento de mobilização jovem para jovens, de forma que a geração que em breve estará profissionalmente abordando o oceano, faça parte desde agora desta onda.

3) Qual conselho você daria para jovens mulheres em início de carreira que queiram contribuir com a Década?

A Década do Oceano é um planejamento de médio e longo prazo, é um projeto de País. A visão sobre este futuro dos jovens em início de carreira é fundamental. É muito importante que este grupo se organize e coloque suas opiniões, ciente da sua missão. É urgente que este grupo debata sobre as estratégias de desenvolvimento socioeconômico e a gestão do conhecimento. Como está a perspectiva do seu desenvolvimento profissional no país? Como está a sua participação nos espaços públicos de construção das estratégias de desenvolvimento? Como você vai influenciar o uso e a exploração sustentável do mar? Enfim, parece que é só sobre o Oceano, mas, na verdade, é uma chamada para construção de uma nova década e de uma nova sociedade.


4) Conte um pouco sobre a sua trajetória profissional

Sou cientista política, mestre em políticas públicas e servidora pública federal do Ministério da Economia desde 2009. Sempre atuei em políticas públicas para o meio ambiente. Comecei a trabalhar com o tema de oceano em 2020, mas antes trabalhei por 10 anos na política nacional sobre mudança do clima e pude contribuir com resultados importantes coordenando a formulação dos planos setoriais de mitigação e adaptação à mudança do clima. Também dirigi a formulação do plano nacional de adaptação à mudança do clima e geri o Fundo Nacional sobre mudança do clima.






11 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo